Descodificando CR7... (3/4)

Hoje analiso o item "Técnica".

Nesta parte, os cientistas, pretendem testar a técnica de Cristiano Ronaldo (CR) e começam pelos pontapé-livre.

Os livres de CR têm o triplo da eficácia da média e são reconhecidamente um enorme perigo para qualquer guarda-redes. Em poucos segundos, um simples pontapé de CR pode decidir um jogo, pode inverter um resultado, pode terminar com um sonho ou garantir uma vitória.

Os cientistas colocam sensores pelo corpo de CR, para poderem estudar como funciona um dos mais eficientes pontapés do mundo, com um gasto de energia muito baixo para a potência que consegue. O segredo para conseguir mudanças de trajetórias repentinas, efeitos de variação de pressão e enorme potência, está na forma como o pé entra em contacto com a bola e o local preciso onde a força é imprimida. Pequenas mudanças alteram a eficácia do remate, que implica uma coordenação muscular e cerebral impressionante.

Como é que CR consegue conscientemente controlar todos os músculos e movimentos enquanto se foca na baliza e na bola. Resposta: não consegue... conscientemente.

Esse grau de controlo é inconsciente (não estamos a prestar atenção a ele) e é conseguido através de prática deliberada, ancoragem e intencionalidade.

Abordemos estes itens com maior detalhe:
Durante anos CR treinou a conversão de livres e, pelas próprias palavras dele, ainda hoje treina pelo menos uma vez semana a marcação de 25-30 livres e com guarda-redes. Esta repetição e treino, transforma-se em prática deliberada porque CR treinou horas a fio com o propósito de melhoria constante, experimentando várias abordagens e incrementando melhorias para chegar ao resultado pretendido.

Esta repetição e melhoria cria uma série de "âncoras" no cérebro, ou seja, uma série de processos sequenciais que são automaticamente despoletados na conversão do livre e que controlam desde a respiração até ao ponto onde a coxa para e cria o movimento de “chicote” com o pé. Estas âncoras são as mesmas que ganhamos quando fazemos muitos pontos de embraiagem na condução ou um simples gesto de apertar de um cordão e servem para facilitar a nossa vivência e potenciar resultados. Elas permitem libertar a nossa limitada capacidade de foco para outras tarefas mais importantes. Este é um ponto fundamental, pois essa capacidade de foco é utilizada para projetar na nossa mente o resultado pretendido.

Nós conseguimos observar os segundos que precedem a marcação de um livre por CR e conseguimos quase adivinhar o que lhe vai na cabeça. Esses momentos são fundamentais e, naqueles em que ele consegue projetar mais claramente as suas intenções e aceder ao seu melhor estado emocional, o perigo para baliza adversária é muito diferente.

O que é que na tua vida já está a atingir alta performance? Como poderias aplicar este processo à tua realidade?